Loading...
Loading...

Gospel

  • http://www.agenda21comperj.com.br
  • http://www.youtube.com/watch?v=alPaK2NQfyw
  • http://www.youtube.com/watch?v=alPaK2NQfyw

Terra - RSS - Terra Brasil

urgente , urgente!!!!!!!

Loading...

Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Infarto, derrame e pneumonia são principais causas de morte

Estudo aponta que o Alzheimer e o diabetes provocaram mais mortes no país em 2013 do que em 1990

Agência Brasil
Doença isquêmica do coração, derrame e pneumonia são principais causas de morte
A doença isquêmica do coração (infarto), o derrame e a pneumonia são as principais causas de morte no Brasil e respondem por 32% dos óbitos registrados em 2013. Os dados fazem parte de um estudo publicado hoje (18) pelo periódico The Lancet, feito em 188 países.
De acordo com o relatório, violência e ferimentos provocados por acidentes de trânsito estão no topo da lista de causas de morte entre brasileiros com idade entre 15 e 49 anos, resultando em 72.373 vítimas em 2013.
Já entre indivíduos com 70 anos ou mais, a doença isquêmica do coração é a que mais mata. Quando o assunto é a mortalidade infantil, a principal causa de morte são complicações neonatais decorrentes de parto prematuro, responsáveis pelo óbito de 11.257 crianças até 5 anos.
O estudo aponta também que a doença de Alzheimer e o diabetes provocaram mais mortes no país em 2013 do que em 1990. O crescimento chegou a 200% e 143% respectivamente. Os óbitos provocados pelo câncer de pulmão aumentaram 92% no mesmo período.
O documento indica que, desde 1990, o Brasil registrou quedas consideráveis na mortalidade provocada por várias doenças que costumavam tomar muitas vidas no país. Um dos exemplos citados são as mortes decorrentes de doenças diarreicas, que caíram 82% entre 1990 e 2013, e das complicações neonatais decorrentes de parto prematuro, que caíram 74% no período.
Paulo Lotufo, professor da Universidade de São Paulo e um dos autores do estudo, avalia como positiva a queda da mortalidade geral no país, com declínio em praticamente todas as causas. Mas o que compromete o perfil brasileiro, segundo ele, é a presença de fatores externos como a violência e os acidentes de trânsito entre as principais causas de morte.
Conheça os fatores de risco para o AVC:
Tabagismo. Foto: Thinkstock/Getty Images
Hipertensão. Foto: Getty Images
Diabetes. Foto: AP
Colesterol alto. Foto: Thinkstock/Getty Images
Sedentarismo. Foto: Thinkstock
Tabagismo. Foto: Thinkstock/Getty Images
1/5
O pesquisador destacou que vizinhos sul-americanos como Argentina, Chile e Uruguai, ao contrário do Brasil, registram como principais causas de morte infarto, derrame e câncer, entre outros, sem que nenhum fator externo apareça entre os primeiros colocados. “Aqui, as causas externas e as doenças cardiovasculares, por exemplo, estão muito próximas e isso foge da assistência médica. Extrapola”.
O levantamento aponta que a expectativa de vida para mulheres brasileiras é 78,4 anos e, para os homens, 71,6 anos. Em 1990, a expectativa de vida para mulheres que viviam no país era 73 anos e, para os homens, 65,5 anos. Dos 188 países incluídos no estudo, o Brasil ficou com a 75ª posição no ranking de expectativa de vida para mulheres e na 80ª posição para homens.
“Com o aumento da expectativa de vida, aumentam as doenças relacionadas ao tempo de vida, como a esclerose múltipla, que está registrando mais casos no Brasil. O mieloma, um tipo de câncer da medula óssea, também está associado a pessoas mais idosas. Temos menos morte por infarto, AVC [acidente vascular cerebral] e câncer, mas vão aparecendo essas outras causas”, alertou.
Confira as principais causas de morte no Brasil em 2013 e em 1990, acompanhadas do número de óbitos:
2013
1. Doença isquêmica do coração (182.560)
2. Derrame (143.771)
3. Pneumonia (70.074)
4. Doença pulmonar obstrutiva crônica (62.961)
5. Diabetes (56.018)
6. Violência (50.306)
7. Doença de Alzheimer (47.776)
8. Ferimentos em acidentes de trânsito (46.311)
9. Doença crônica dos rins (31.873)
10. Câncer de pulmão (29.043)
1990
1. Doença isquêmica do coração (135.781)
2. Derrame (94.588)
3. Pneumonia (61.366)
4. Complicações neonatais decorrentes de parto prematuro (42.646)
5. Ferimentos em acidentes de trânsito (41.166)
6. Doenças diarreicas (36.947)
7. Violência (35.859)
8. Doença pulmonar obstrutiva crônica (34.007)
9. Diabetes (23.024)
10. Anomalias congênitas (17.076)

Veja 5 dicas para usar melhor o WhatsApp

Saiba como proteger o aplicativo com senha e criar atalhos para contatos frequentes

O WhatsApp tem mais de 400 milhões de usuários ativos por mês, e versões para todas as plataformas de smartphone do mercado. Um dos motivos do sucesso do programa é sua simplicidade. Qualquer usuário de smartphone pode instalar e começar a usar o programa poucos segundos. Mas alguns truques ajudam a usar o aplicativo com mais facilidade. Veja abaixo 5 dicas para usar o WhatsApp.
1 - Aplicativo para Android bloqueia WhatsApp com senha. Foto: Reprodução
2 - WhatsApp permite compartilhar localização. Foto: Reprodução
3 - Atalho para contato facilita comunicação no WhatsApp. Foto: Reprodução
4 - WhatsApp permite ocultar notificação de mensagem lida. Foto: Reprodução
5 - WhatsApp permite bloquear contatos indesejados. Foto: Reprodução
1 - Aplicativo para Android bloqueia WhatsApp com senha. Foto: Reprodução
1/5
Como bloquear o acesso ao WhatsApp
Quem tem um smartphone Android pode bloquear o acesso ao WhatsApp facilmente. Basta instalar o aplicativo Messenger and Chat Lock. Depois de instalado, esse aplicativo bloqueia o Whatsapp com uma senha definida pelo usuário. O aplicativo também pode impedir acesso a outros mensageiros, como Viber, Facebook Messenger e Hangouts.
Como enviar sua localização
Combinou um encontro com amigos e chegou mais cedo? Uma forma fácil de mostrar para seus contatos onde você está é enviar sua localização pelo WhatsApp. Escolha o contato ou grupo que receberá a informação e toque no botão de anexos. Na janela seguinte, escolha o item localização. Seus contatos receberão um link que pode ser aberto nos aplicativos de mapas do celular.
Como criar atalhos para contatos muito usados
Tem um contato muito frequente no WhatsApp? Crie um atalho para agilizar a conversa com ele. Um ícone com a foto do contato será criado na tela principal do smartphone. Você pode tocar nele e começar a conversar, sem ter que abrir a tela principal do Whatsapp e procurar pelo contato na lista.
Para fazer isso, basta tocar por alguns segundos no contato desejado. No menu seguinte, escolha a opção "Adicionar atalho para conversa". Pronto, o atalho para o contato está na tela principal do smartphone.
Como desativar a notificação de mensagem lida
Em algumas situações, você pode não querer que seus amigos saibam que você viu uma mensagem. É possível configurar o WhatsApp para não enviar o símbolo de marcado quando a mensagem for lida.
Para fazer isso, vá nas configurações do WhatsApp e depois escolha "Informações da Conta" > "Privacidade". No menu seguinte, toque no item "Visto por último" e escolha quem receberá suas notificações de mensagem lida. Essa dica vale apenas para iPhone e Android.
Como bloquear um contato no Whatsapp
Há algumas formas de bloquear um contato no WhatsApp. Caso o contato já esteja em sua lista, abra a página de conversas, toque no ícone de configurações (no Android, três pontos alinhados na vertical) e depois toque em "Mais" > "Bloquear".

Fátima Bernardes relembra vergonha por alisamento capilar: "Me sentia de touca"

No "Encontro" desta quinta (17), apresentadora relembrou procedimento e visual polêmico: "É inesquecível para mim"

Fátima Bernardes com alisamento, em 2002, e atualmente. Foto: TV Globo/ Divulgação
Em 2011, Fátima abusou das mechas loiras. Foto: Reprodução
Looks da apresentadora. Foto: TV Globo/ Divulgação
Looks de Fátima Bernardes. Foto: TV Globo/ Divulgação
E esse look chanel, que tal?. Foto: Reprodução
Fátima Bernardes com alisamento, em 2002, e atualmente. Foto: TV Globo/ Divulgação
1/5





Na época, o visual polêmico também não agradou os telespectadores. Veja na galeria vários visuais da apresentadora.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Um Culto Racional ou Emocional?

      
Um Culto Racional ou Emocional?Os cultos de hoje têm por objetivo sentimentalizar as pessoas para que elas se sintam atraídas por aquele lugar. O culto racional / espiritual foi trocado por um culto sentimental. O culto onde as pessoas são confrontadas pelas Escrituras e obrigadas a pensarem e refletirem no estilo de vida pecaminoso que elas vivem está se extinguindo.
Um dos grandes problemas com as igrejas atuais é o forte anseio de se tornar atraente e “gostosa” aos olhos do mundo. Como exemplo dessa obsessão para atrair o mundo para dentro da igreja:
  • Os líderes focam em mensagens egocêntricas – a maioria das pregações é sobre bênçãos na vida dos crentes.
  • A pregação expositiva da palavra é trocada por curtas palestras sobre temas atuais (filmes, livros…).
  • O louvor é priorizado. As músicas não são focadas em Cristo, mas sim no homem.
  • As luzes do palco devem ser como de um auditório de TV ou de uma boate.
  • Muita atenção é dada ao teatro e dança.
Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores” (João 4:23).
Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês” (Romanos 12:1-2).
As pessoas não pensam, não criticam e não julgam mais nada – pois a Palavra não tem raiz nenhuma nessas vidas – o que elas mais querem é ir para a igreja para ouvir músicas ‘gostosas’, ouvir uma mensagem que promete benção e conforto, e assistir ao ‘show da fé’ – meninas e meninos dançando, bandeiras, peças de teatro e mímica no lugar da Pregação da Palavra de Deus.
Jesus disse que o Pai busca adoradores que o adoram “em Espírito e em Verdade” (João 4:23-24), mas hoje as pessoas baseiam toda a adoração em coisas visíveis / físicas (danças, bandeiras, teatros, luzes, músicas para pular e correr) e sem a Verdade da Palavra exposta aos cristãos.
Nesse estudo procuramos estimular os cristãos a pensarem em uma dessas características atuais que as igrejas (os líderes) usam para atrair os incrédulos para dentro delas: a dança! Queremos mostrar de forma bíblica e curta porque a dança durante os cultos não é algo saudável para uma igreja.
Queremos responder 3 perguntas muito importantes que precisamos levar em consideração:
I – A dança Durante o Culto é Algo Bíblico?
A grande maioria das pessoas alega que já que Davi dançou diante de Deus (II Samuel 6:14, 16) e que Deus ordenou que Israel dançasse (Salmos 150:4) então é totalmente liberado a dança durante o culto cristão. Antes de aplicarmos os textos do Antigo Testamento, da antiga aliança, na era do Novo Testamento precisamos passar pelo processo de contextualização.
“A cultura judaica tinha danças durante as festas de casamentos, celebrações e Festa dos Tabernáculos, e claro que há referências a Davi dançando no Antigo Testamento, mas essas danças eram espontâneas e de celebrações, e não litúrgicas! Como resultado, a igreja primitiva, provavelmente, não praticava tais danças durante os cultos”. Veja http://www.christianitytoday.com/ch/asktheexpert/apr29.html.
Cremos que em alguns contextos históricos da nação de Israel a dança era uma válida expressão de alegria, mas que jamais foi instituída por Jesus e pelos apóstolos como uma prática a ser carregada pela igreja atual. Um estudo bem interessante sobre o uso das diferentes palavras para dança no Antigo Testamento e seus usos em contextos religiosos pode ser encontrado em: http://clarke.biblecommenter.com/psalms/150.htm.
O Antigo Testamento é repleto de festas, rituais e objetos físicos que apontavam para algo muito maior e espiritual. Todo cuidado é necessário quando aplicamos uma passagem do Antigo Testamento na Nova Aliança. A cultura hebraica do Antigo Testamento tem várias coisas que nunca foram implantadas nas igrejas do Novo Testamento – a dança é uma delas.
No Novo Testamento a palavra dança aparece cinco vezes, mas nenhuma delas em contexto de adoração e igreja. Sobre a pergunta se a dança é biblicamente correta para os cultos das igrejas – seguem algumas observações:
  1. Houveram danças no Antigo Testamento em certos contextos, mas a Bíblia não menciona nada dos levitas estarem sempre dançando diante de Deus. Não vemos relatos de que os levitas deveriam dançar e nem que eles dançavam no Tabernáculo e nem no Templo.
  2. As realidades físicas do Antigo Testamento apontavam para algo espiritual.
  3. O Novo Testamento NUNCA menciona dança como sendo parte dos cultos dos cristãos: vemos que eles se reuniam, tinham comunhão, cantavam e ouviam a pregação da Palavra, mas não há relato de danças e teatros (Atos 2:42; Efésios 5:18-21; I Coríntios 12-14; I Timóteo 4:13). Veja que em Efésios 5:19. Paulo entendeu que adoração verdadeira não era exterior, mas que deveria ocorrer no coração!
  4. Não há NENHUMA menção de dança litúrgica sob a Nova Aliança em nenhum dos 27 livros do Novo Testamento. Nem mesmo Apocalipse fala de pessoas dançando no Céu!
  5. Não há relatos históricos da igreja primitiva adotando danças durante os cultos.
II – Por Que não Promovo a Dança Durante os Cultos?
Além de não ser uma prática bíblica a dança durante o culto causa outros sérios problemas:
  • A maioria das pessoas fica olhando para as meninas dançando.
  • O foco da adoração deve ser exaltar o nome do Senhor da Igreja, Jesus. E não para exibições de danças.
  • O foco sai do Salvador para meninas e meninos dançando em frente de todos.
  • Os incrédulos que visitam a igreja acham uma ‘maravilha’ ver meninas dançando. Vira um atrativo pecaminoso! Ouvi da boca de um menino que visitou uma igreja que tinha dança ele dizer, “Poxa, que beleza, tem meninas para a gente ver dançando!”.
Muitos outros aspectos negativos poderiam ser escritos!
III – Qual a Solução?
Que as igrejas lembrem da importância da Palavra de Deus! Jesus não veio dançando, cantando e nem fazendo mímicas, mas ensinando com autoridade a Palavra. Paulo ordenou Timóteo que pregasse a Palavra
(
II Timóteo 4:2), e não que promovesse danças e teatros. Tudo isso, pois eles sabiam que é a Palavra de Deus pregada e exposta que:
Danças podem honrar a Deus (II Samuel 6:14, 16), uma pintura pode glorificar o Criador, e músicas podem agradar ao Senhor, mas nenhuma outra forma de arte pode proclamar a verdade com tanta inteligibilidade como as palavras. Mesmo as palavras, que normalmente são citadas como encorajamento para o uso de histórias e drama, são um tanto ambíguas. É por isso que Jesus contava parábolas: para não ser óbvio. “A vocês foi dado o mistério do Reino de Deus“, disse Jesus aos discípulos. “Mas aos que estão fora tudo é dito por parábolas, a fim de que, ‘ainda que vejam, não percebam; ainda que ouçam, não entendam; de outro modo, poderiam converter-se e ser perdoados!” (Marcos 4.11-12).
Que os nossos cultos sejam menos carnais e emocionais e mais racionais / espirituais! Que a pregação expositiva da Palavra seja o centro e alicerce de nossas igrejas.
Um culto agradável a Deus deve ser baseado em Seus mandamentos e vontades – isso Ele revelou através das Escrituras. Precisamos ser mais bíblicos em nossas igrejas! Que nós possamos ser atraentes não por causa da semelhança com o mundo na área da dança, música e espetáculos, mas por causa da santidade e amor radical que refletimos.

Ellen White na Lista de Americanos mais Influentes

     
Foi divulgada em novembro uma inusitada lista com os nomes dos 100 norte-americanos mais influentes de todos os tempos. A listagem é um trabalho da Smithsonian Magazine, uma publicação que pertence ao Smithsonian Institute, e inclui a escritora adventista Ellen White. Essa instituição, criada em 1846, reúne um grupo de museus e centros de pesquisa administrados pelo governo dos Estados Unidos. Conforme a revista, foi adotada uma metodologia criada por Steven Skiena e Charles Ward. Skiena é professor da Universidade Stony Brook e pesquisador na área de computação, e Ward é um engenheiro da Google especializado em metodologias de classificação. Os dois desenvolveram um método algorítmico para classificar figuras históricas, como o Google classifica páginas da web. Só que  Skiena e Ward resolveram catalogar as pessoas de acordo com a sua importância histórica, o que eles definem como “o resultado de forças sociais e culturais que agem sobre a massa de realização de um indivíduo”.
Para se chegar a esse grupo, foram pesquisadas fontes como a Wikipedia, que tem mais de 840 mil páginas dedicadas a pessoas de todos os tempos e lugares, além de dados extraídos dos 15 milhões de livros que a Google digitalizou. Eles analisaram os dados para produzir um escore único para cada pessoa e usaram uma fórmula que incorpora o número de links para cada página, o número de páginas visitadas, a duração de cada entrada e a frequência das edições para cada página.
Ellen White integrou a área que eles chamaram de figuras religiosas, ao lado de outros nomes conhecidos. A listagem completa tem gente do nível de Abraham Lincoln, George Washington, Martin Luther King, Thomas Jefferson, Oprah Winfrey, entre outros.
 

Pontífice Prega Uma Coisa e fez Outra, Afirma Desafeto do Papa

      
“O cão.” Esse é o apelido do jornalista e colunista político argentino Horacio Verbitsky, 71, conhecido pela investigação sobre a ditadura militar em seu país (1976-83).
Na semana passada, o jornalista veio a São Paulo para participar de uma audiência da Comissão da Verdade.
Verbitsky também é autor de “O silêncio”, no qual afirma que o jesuíta Jorge Mario Bergoglio, hoje papa Francisco, foi cúmplice da ditadura argentina ao denunciar sacerdotes aos militares.
O papa e mesmo alguns ativistas de direitos humanos negam a acusação. À Folha o jornalista fez uma análise das propostas de mudança na igreja feitas pelo papa e questiona se serão profundas ou apenas “cosméticas”.
“No discurso de Bergoglio, tudo é maravilhoso e eu aplaudo com entusiasmo. Mas há uma contradição entre o que ele fez na Argentina e o que ele diz estar planejando hoje para a igreja”, afirma.
Para Verbitsky, há apenas uma mudança de tom nos discursos do principal representante da igreja, mas não uma pretensão real de alteração em seus fundamentos.
“No tema da abertura aos homossexuais, a doutrina da igreja é muito clara a respeito: há de ser compreensiva com os que buscam se aproximar de Deus. Mas, nos termos da igreja, isso significa deixar de ser homossexual.”
Quando se discutiu na Argentina a lei que permite aos homossexuais casar e adotar filhos, Bergoglio encabeçou a oposição à lei e escreveu uma carta a uma congregação religiosa instando-a a resistir, afirmando que essa lei era “parte do plano do diabo para destruir a igreja.”
No mês passado, o papa divulgou um documento escrito só por ele. “Não há mudança de doutrina. A posição da Igreja não muda a respeito do aborto e do celibato sacerdotal”, diz o jornalista, que também questiona a posição de Bergoglio nos casos de pedofilia envolvendo sacerdotes.
“Na Argentina, há o caso do sacerdote Julio César Grassi, condenado a 15 anos de prisão por pedofilia e preso em setembro. Bergoglio o defendeu permanentemente e contratou um dos juristas mais renomados do país para defendê-lo. Até agora, Grassi, mesmo preso, não perdeu o estado sacerdotal.”
Apoiador dos governos de Néstor Kirchner (2003-07) e de Cristina, atual presidente argentina, o jornalista diz acreditar que as políticas de combate à pobreza dos dois “implicaram no mesmo fenômeno de luta contra pobreza que o de Lula no Brasil”.
“Bergoglio questionava essas políticas, dizendo que eram clientelistas, questionava os modos autoritários de [Néstor] Kirchner, quando ele, Bergoglio, sempre foi autoritário em toda sua vida.”
Fonte: (Folha)
Nota: De alguns meses para cá, foi comum os jornalistas publicarem matérias indicando uma possível postura do catolicismo em mudar alguns conceitos e até mesmo doutrinas, em especial, referente ao homossexualismo. Embora as palavras do papa Francisco tenham sido um tanto que favoráveis a algumas mudanças, não me convenci o suficiente para acreditar que elas viriam. Minha convicção não foi baseado em uma rejeição psicológica, mas, numa declaração de Ellen White a respeito da maneira como roma se comportaria no futuro. Falando a respeito, das diferenças entre o protestantismo e catolicismo, com foco na união entre ambos, ela é enfática ao afirmar que “esta união não será, porém, efetuada por uma mudança no catolicismo, POIS ROMA NÃO MUDA. Ela declara possuir infalibilidade.” (Review and Herald, 1º de junho de 1886).
Portanto, fica ai a dica profética, roma não mudará suas doutrinas. Em especial às questões mais complexas que envolve o protestantismo, esta imutabilidade contribuirá para atrair o mundo evangélico com o objetivo de unir forças em alguns temas específicos, de maneira especial, a da defesa do domingo.

FALA CASIMIRO

Governador e prefeito de Casimiro de Abreu entregam casas populares na próxima sexta-feira
Prefeitura de Casimiro de Abreu adianta pagamento do 13º salário e movimenta a economia local
Prefeitura anuncia reajuste salarial de até 40% para agentes de saúde durante encontro
Secretaria de Trabalho e Renda adia processo seletivo