Loading...
Loading...

Gospel

  • http://www.agenda21comperj.com.br
  • http://www.youtube.com/watch?v=alPaK2NQfyw
  • http://www.youtube.com/watch?v=alPaK2NQfyw

Terra - RSS - Terra Brasil

urgente , urgente!!!!!!!

Loading...

Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 26 de março de 2015

Rir é bom e faz bem ao coração

Além de melhorar o funcionamento do sistema vascular, rir ajuda a relaxar os músculos do rosto e do corpo

Foto: Getty ImagesAmpliar
Riso: ele relaxa os músculos e faz bem ao coração
Especialistas dizem que uma boa risada ajuda a aliviar o estresse e trás benefícios aos vasos sanguíneos.
“Rir aumenta a circulação sanguínea, aprimorando também as funções do sistema vascular. A redução do estresse é especialmente benéfica para os hipertensos”, diz a médica Vivienne Halpern, em um boletim da Sociedade Americana de Cirurgia Vascular.
“Rir diminui as taxas de hormônios relacionados ao estresse (cortisol, epinefrina, dopamina e hormônio do crescimento), aumentando os níveis de endorfina e de neurotransmissores. O resultado disso é um sistema imunológico mais forte e uma redução dos efeitos físicos do estresse”, ela explicou.
Além de reduzir o estresse e proteger o coração a especialista afirma que rir também ajuda a relaxar os músculos e criar uma sensação de bem-estar.  A hipertensão está relacionada ao AVC, acidente vascular cerebral, uma das principais causas de mortalidade nos Estados Unidos e no Brasil.

O café que você toma é saudável?

Pesquisa recente ressalta benefícios do café grego para o coração. Conheça outras vantagens da bebida para a saúde

Uma pesquisa recente ressaltou os benefícios do café grego para o coração, alentando os fãs da bebida em todo o mundo. Mas será que todos os tipos de café são bons para o bom funcionamento do órgão mais vital do corpo humano?
Getty Images
Grãos de café: eles contêm antioxidantes, que ajudam a combater os radicais livres.
Todos os dias milhões de nós consumimos café saboreando seus componentes viciantes, e a verdade é que, a cada gole na xícara, nem todos pensam nos benefícios para a saúde.
"Nunca achei que tivesse problema tomar cinco xícaras de café por dia", diz Will Corby, especialista em café e instrutor da London School of Coffee.
A cafeína é um estimulante tão poderoso que é comum ouvir histórias de pessoas que tomaram "overdose" de café espresso. Tomar muito da bebida é algo geralmente associado a malefícios para a saúde, como insônia, dores de cabeça e diurese.
Will Corby defende que qualidade é chave na hora de escolher um café. Ele diz que pode tomar 20 xícaras de café em um dia de degustação sem qualquer efeito colateral, mas o que acontece se ele beber três cafés ruins?
"Eu tomo muito café, mas é um café bom, bem macerado. Não tenho problemas para dormir. Mas se você tomar um café mal feito, isso pode ter um efeito negativo", diz Corby.
Sem insônia
De fato, pesquisas ao longo dos anos têm ressaltado os benefícios de tomar café, mais especificamente o café grego. O consumo de café entre idosos na ilha grega de Ikaria foi relacionado à redução do riso de doenças cardiovasculares, segundo uma pesquisa divulgada na publicação Vascular Medicine Journal.
Mas por que o café grego é especial? O café grego não é coado. Dentro de uma pequena cafeteira de bronze conhecida como briki, a água é misturada ao pó, que desce até o fundo, quando pode, então, ser servido. Tem mais concentração de cafeína do que o café filtrado e o percolado.
Getty Images
Café grego: propriedades anti-inflamatórias
A bebida é muito forte, tem uma espuma espessa e pode ser preparado com açúcar ou puro. É servido com um copinho de água. Ao mesmo tempo, o café grego é conhecido por suas propriedades anti-inflamatórias.
Efeitos positivos e negativos
Diversos estudos já mostraram efeitos positivos e negativos do café sobre a saúde. Essas divergências, dizem especialistas, se explicam em parte pela falta de consistência do que bebemos.
Diferentes formas de torrar e diferentes espécies e variedades de grãos podem ter distintos graus de cafeína e outros compostos. Há, também, o efeito de diferentes ingredientes adicionais na bebida, como açúcar e leite.
No lado positivo, o café é conhecido por conter muitos antioxidantes, que impedem que nossas moléculas oxidam e produzam radicais livres.
Mulheres que bebem duas ou mais xícaras por dia têm menos chance de ficarem deprimidas, diz outro estudo. E, entre as muitas razões para amar o café, o fato de ele dar energia talvez seja a mais simples delas. No entanto, estudos também ligam a ingestão de cafeína ao aumento do colesterol e da pressão sanguínea.
O que concluir, então? Recentemente, mudou de rumo o debate quanto a se o café faz bem ou mal. Uma pesquisa da Escola de Saúde Pública de Harvard sugere que não há elos entre o café e riscos à saúde.

A pesquisa de Harvard, como a maioria dos estudos, levou em consideração copos de 225 ml, cada um com 100 mg de cafeína, "não os copos de 450 ml de um café grande na Starbucks, que tem cerca de 330 mg de cafeína", diz Van Dam.Nem mesmo beber seis xícaras por dia "não está associado com aumento de riscos de morte por qualquer causa, seja câncer ou males cardiovasculares", diz Rob van Dam, professor-assistente na universidade. Mas atenção: especialistas advertem contra excessos.

Conectar as pessoas
Ao mesmo tempo, seja social ou psicologicamente, o café tem efeitos na nossa saúde mental.
"As pessoas ficam ligadas ao tomar café, enquanto o álcool as torna letárgicas", diz Will Corby.
"Por isso as pessoas amam o café, ele ajuda na interação social."
O diretor da Associação de Cafés Especiais dos EUA (SCAA), Peter Giuliano, cita outra pesquisa, da Universidade da Califórnia, sugerindo que o café é útil para conectar tanto pessoas quanto diferentes partes do cérebro. Muitos pesquisadores ressaltam, porém, que muito ainda falta ser descoberto sobre os efeitos da bebida. Dito isso, é hora de fazer uma pausa para o café.

Pesquisa liga café diário a artérias mais limpas

Estudo sul-coreano que envolveu 25 mil pessoas reabre discussão sobre os benefícios da bebida para o coração

Beber algumas xícaras de café pode beneficiar o coração, disse estudo
Thinkstock/Getty Images
Beber algumas xícaras de café pode beneficiar o coração, disse estudo
O consumo diário de algumas xícaras de café pode ajudar a evitar o entupimento das artérias, um conhecido fator de risco para doenças cardíacas, disseram pesquisadores sul-coreanos, o que deve reabrir o debate sobre os benefícios da bebida para o coração.
O estudo analisou mais de 25 mil funcionários homens e mulheres que se submeteram a exames de saúde de rotina no local de trabalho. Os resultados foram divulgados na publicação científica Heart.
Aqueles que bebiam uma quantidade moderada de café - de três a cinco xícaras por dia - tinham uma possibilidade menor de apresentar os primeiros sinais de doença cardíaca nos exames médicos.
Efeitos no coração
Os efeitos que o café têm sobre a saúde do coração ainda causam dúvidas.
Alguns estudos relacionam o consumo da bebida a fatores de risco cardíaco, como maior colesterol ou pressão arterial. Já outras pesquisas sugerem, na verdade, alguma proteção cardíaca.
Neste estudo, pesquisadores usaram exames médicos para avaliar a saúde do coração. Eles buscavam, especificamente, qualquer doença nas artérias que irrigam o coração - as artérias coronárias.
Nas doenças coronárias, estas artérias ficam entupidas pelo acúmulo gradual de material gorduroso em suas paredes.
Salmão, atum e sardinha são os peixes mais indicados para proteger o coração. Foto: Getty Images
Chá verde é outro amigo dos cardíacos. Foto: Getty Images
Chocolate escuro: maior teor de cacau (amargo) traz benefícios ao coração. Foto: Getty Images
O azeite também é muito recomendado pelos cardiologistas. Foto: Getty Images
O alho, em especial para temperos, é outro escalado para a dieta dos cardiopatas. Foto: Getty Images
Ele é calórico, mas o abacate em doses certas só ajuda o coração. Foto: Getty Images
Aveia, mesmo misturada aos pratos quentes, é ótima protetora. Foto: Getty Images
A soja também é queridinha dos cardiologistas. Foto: Thinkstock Photos
O iogurte, principalmente o natural e sem açúcar, é muito recomendado. Foto: Getty Images
O tomate é cheio de substâncias que protegem o coração. Foto: Getty Images
A uva também é aliada, seja o suco ou o vinho, desde que em doses controladas. Foto: Getty Images
Salmão, atum e sardinha são os peixes mais indicados para proteger o coração. Foto: Getty Images
1/11


Leia também:

Pesquisadores usaram métodos para visualizar pequenos depósitos de cálcio nas paredes das artérias coronárias para ter uma pista inicial sobre a ocorrência deste processo da doença.
Nenhuma das pessoas incluídas no estudo tinha sinais visíveis de doença cardíaca, mas mais do que uma em cada 10 tiveram depósitos de cálcio visíveis em seus exames.
Os pesquisadores, então, compararam os resultados dos exames com o consumo de café diário anotado por cada um dos funcionários, levando em conta outros potenciais fatores de risco cardíaco, como tabagismo, exercícios físicos e histórico familiar de problemas cardíacos.
Pessoas que beberam algumas xícaras de café por dia apresentaram menos probabilidade de ter depósitos de cálcio em suas artérias coronárias do que as que bebiam mais do que isso ou simplesmente não bebiam nada.
Bem ou mal?
Os autores do estudo dizem, no entanto, que mais pesquisas são necessárias para confirmar e explicar a ligação.
O café contém cafeína estimulante e diversos outros compostos, mas não está claro se eles podem causar bem ou mal para o corpo.
Victoria Taylor, da Fundação Britânica do Coração, disse: "Embora este estudo destaque uma eventual ligação entre o consumo de café e um menor risco de obstruir as artérias, mais pesquisas são necessárias para confirmar esses resultados e compreender qual é a razão para essa associação".
"Precisamos tomar cuidado ao generalizar estes resultados porque são baseados na população da Coreia do Sul, que tem diferentes dietas e hábitos".

Dieta mediterrânea reduz pela metade risco de doenças cardíacas

Estudo mostra que seguir à risca cardápio que privilegia peixes, verduras, castanhas, azeites, grãos e uma taça de vinho tinto traz mais benefícios do que praticar exercícios físicos

Um estudo que será apresentado no dia 15 de março em um dos mais importantes congressos internacionais de cardiologia, o da Academia Americana de Cardiologia, mostra que seguir a dieta mediterrânea – aquela composta por peixes, verduras, castanhas, azeites, grãos e uma taça de vinho tinto – pode reduzir em 47% a chance de ter problemas cardiovasculares. O estudo concluiu também que aderir à dieta mediterrânea traz mais benefícios protetores do que praticar exercícios físicos.
Já se suspeitava que a dieta mediterrânea é amiga do coração. Nenhum estudo anterior, porém, tinha acompanhado pessoas de meia-idade ao longo de 10 anos para concluir que o cardápio é realmente um grande protetor do sistema cardiovascular.
Salmão, atum e sardinha são os peixes mais indicados para proteger o coração. Foto: Getty Images
Chá verde é outro amigo dos cardíacos. Foto: Getty Images
Chocolate escuro: maior teor de cacau (amargo) traz benefícios ao coração. Foto: Getty Images
O azeite também é muito recomendado pelos cardiologistas. Foto: Getty Images
O alho, em especial para temperos, é outro escalado para a dieta dos cardiopatas. Foto: Getty Images
Ele é calórico, mas o abacate em doses certas só ajuda o coração. Foto: Getty Images
Aveia, mesmo misturada aos pratos quentes, é ótima protetora. Foto: Getty Images
A soja também é queridinha dos cardiologistas. Foto: Thinkstock Photos
O iogurte, principalmente o natural e sem açúcar, é muito recomendado. Foto: Getty Images
O tomate é cheio de substâncias que protegem o coração. Foto: Getty Images
A uva também é aliada, seja o suco ou o vinho, desde que em doses controladas. Foto: Getty Images
Salmão, atum e sardinha são os peixes mais indicados para proteger o coração. Foto: Getty Images
1/11

Os pesquisadores monitoraram moradores da Grécia que seguiam a dieta mediterrânea, pessoas que seguiam parcialmente o plano alimentar e outras que absolutamente não consumiam os alimentos recomendados. Aquelas que seguiam à risca reduziram quase pela metade a chance de ter de problemas cardiovasculares. O estudo também mostrou que as mulheres eram mais disciplinadas do que os homens para seguir a dieta.
Apesar de a Grécia ser o berço da dieta mediterrânea, a urbanização levou muitos gregos a adotarem um estilo de vida ocidental ao longo das últimas quatro décadas.
“Nosso estudo mostra que a dieta mediterrânea é uma intervenção benéfica para todos os tipos de pessoas, de ambos os gêneros, de qualquer idade, saudáveis ou com problemas de saúde”, diz um dos condutores do estudo, Ekavi Georgousopoulou, da Universidade Harokopio, em Atenas, na Grécia, em comunicado.
Leia também:

“Isso também revela que a dieta tem benefícios diretos para a saúde cardíaca, além de benefícios indiretos, como controle de diabetes, hipertensão e inflamação”, explica.
O estudo foi baseado em mais de 2,5 mil gregos adultos, entre 18 e 89 anos, que foram acompanhados de 2001 a 2012. Participantes eram convidados a responder perguntas sobre sua saúde, estilo de vida e dieta depois de cinco e de 10 anos no estudo.
O prato do brasileiro
“Pelo fato de a dieta mediterrânea ser baseada em grupos alimentares que são muito comuns e fáceis de achar, pessoas ao redor do mundo podem facilmente aderir a esse estilo alimentar e proteger-se contra problemas cardíacos com um custo baixo”, disse Georgousopoulou.
O cardiologista e supervisor do setor de emergências do Instituto do Coração (Incor), em São Paulo, Alexandre Matos, explica que a dieta é rica em antioxidantes e muito benéfica para o coração.
O médico ressalta que apesar de não ter um alto custo, o cardápio mediterrâneo não está presente de forma tão significante no prato do brasileiro.
“Os brasileiros não estão acostumados a comer peixe com a frequência que se come na dieta mediterrânea, por exemplo. Lá, eles consomem o alimento ao menos de três a quatro vezes por semana”, explica o médico.
“Mas a dieta é fácil de ser feita. A diferença é que se come pouca carne vermelha”, aponta Alexandre.